Cinco mil estão em greve por salários na CBA

Pelo menos cinco mil trabalhadores da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), do grupo Votorantim, segunda maior fabricante do metal no País, estão em greve desde o final da noite de terça-feira (30), na fábrica de Alumínio, região de Sorocaba. A unidade tem seis mil empregados, entre funcionários e terceirizados, e até a noite desta quarta-feira apenas um grupo continuava trabalhando para evitar a paralisação dos fornos.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agencia Estado

31 Outubro 2012 | 20h09

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos, os grevistas reivindicam 4 pontos porcentuais de aumento real, além da inflação, o que daria em torno de 9% de reajuste, mas o índice proposto pela empresa foi de 5%. Eles querem ainda a manutenção do adicional por turno de revezamento, que corresponde a 27,5% do salário, cujo corte teria sido anunciado pela empresa. Em nota, a CBA informou que estava em negociações com o sindicato e foi surpreendida pela greve.

Em razão do piquete promovido pelo sindicato nos portões de acesso, alguns funcionários dispostos a trabalhar estavam sendo transportados de helicóptero para o interior da fábrica. Uma das aeronaves fez um pouso forçado nesta quarta-feira e, assustado, um funcionário tentou descer antes do pouso e ficou ferido. Ele foi levado para um hospital. O uso do helicóptero foi suspenso por motivo de segurança.

Mais conteúdo sobre:
alumínioCBAgreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.