Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Ciro concorda com proposta para meta de inflação

O ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, disse hoje que concorda com a proposta do líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante, de manter em 2005 a meta de inflação deste ano, de 5,5% e não de 4,5%, como foi estabelecida anteriormente. "Eu tenho absoluta concordância", disse Ciro Gomes, em entrevista ao Bom Dia Brasil, da TV Globo. "Qualquer inflação é ruim. Agora, o nível de inflação no curto prazo pode, eventualmente, tirar margem para esse esforço de aumentar o nível de emprego e de renda", afirmou o ministro, acrescentando que essa idéia "e outras tantas" estão sendo estudadas pelo governo Lula. O ministro fez questão de ressaltar "algum êxito" do atual governo na condução da política econômica, destacando mais uma vez a herança do governo anterior. "Quando o presidente Lula tomou posse, a inflação extrapolava para mais de 30%. Nós vamos a 6% este ano. O câmbio estava R$ 4 por dólar e nós estamos estabilizados há praticamente oito, dez meses a 2,90. Isso tem efeito na renda real da população?, disse. Ciro lembrou que o juro ainda está muito alto, ?mas é o juro real mais baixo nos últimos nove anos?. Segundo ele, o País consolidou 200 bilhões de dólares de rombo em transações correntes em oito anos do governo passado. ?Nós tivemos pela primeira vez, em onze anos, um superávit em transações correntes. Enfim, há muitos números que indicam que nós estamos andando numa direção correta, embora dois números persistam como grande desafio: o nível de emprego, que nós recebemos muito alto e não conseguimos reverter ainda e a queda dos salários na renda nacional que vem caindo há sete anos seguidos", disse o ministro.

Agencia Estado,

20 de abril de 2004 | 08h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.