Ciro defende a revisão de contratos sensíveis ao câmbio

O ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, defendeu hoje a revisão dos contratos que prevêem reajuste de tarifas com base em índices sensíveis ao câmbio. Para ele, trata-se de um "desequilíbrio contratual", e juridicamente há espaço para reavaliações. Se persistir a indexação ao câmbio, disse Ciro, "o regime de câmbio flutuante estará fraudado". "Não estou falando em romper contratos. Um país que tem salários pagos em reais, custos básicos do processo produtivo em reais, não pode ter indexador sensível a câmbio, senão a política de flutuação cambial não funciona. No caso específico da telefonia, o novo modelo de renovação das concessões sai dessa armadilha." O ministro participou no Rio do seminário Infra-estrutura logística como fator de desenvolvimento, na sede da Fecomércio.

Agencia Estado,

16 Julho 2003 | 13h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.