Ciro espera "descompressão" fiscal com mais crescimento

Apesar do anúncio, pelo ministro da Fazenda, Antonio Palocci, de que aperto fiscal continuará em 2004, o ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, garantiu hoje que no ano que vem haverá uma "descompressão" fiscal por causa do crescimento maior da economia. "É seguro afirmar isso", disse em audiência pública na Comissão de Fiscalização Financeira da Câmara.Questionado pelo deputado Alberto Goldman (PSDB-SP), para quem houve "exagero" no aperto fiscal este ano, o ministro assegurou que a "dureza" se impunha e que o sacrifício da população no primeiro ano do governo Lula valeu a pena. Para o ministro, o aumento do superávit primário de 3,75% para 4,25% do PIB foi "um ato inevitável de prudência". Ao lembrar o período da transição, Ciro afirmou que o presidente Lula estava certo ao não querer revelar a grave situação do País, embora Ciro tenha ponderado que seria importante mostrar a "frieza" dos números. "Podíamos discutir a velocidade, a profundidade, o modo drástico da simultânea política austera da área fiscal e monetária, mas havia a necessidade de retomar o controle da economia brasileira", afirmou. O ministro disse compreender a agonia dos deputados, mas pediu paciência. "É assim que se muda um quadro de tendência à recessão para um de tendência ao crescimento. Tudo isso tem sentido."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.