coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Cisco diz que não vendia equipamentos pela subsidiária

Os equipamentos vendidos pela Cisco Systems no País não passavam pela sua subsidiária brasileira. Oficialmente, a operação local cuidava da rede de distribuição, do suporte técnico e da promoção de vendas. Os equipamentos eram vendidos, segundo a empresa informava antes da operação policial, da matriz americana para distribuidores brasileiros.Criada em 1984, a história da Cisco está ligada à da internet. Uma grande parte da rede mundial funciona com equipamentos da Cisco. A empresa chegou ao Brasil em 1994, pelas mão de Carlos Carnevali, que também foi vice-presidente da Cisco para a América Latina. Ela tem escritórios em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Brasília. A Mude é a sua maior distribuidora no Brasil.No ano fiscal encerrado em julho, a Cisco faturou US$ 34,9 bilhões, com lucro líquido de US$ 7,3 bilhões. A empresa tem 61.535 funcionários em todo o mundo. Ontem, as ações da empresa tiveram a segunda maior queda na bolsa eletrônica Nasdaq, para US$ 32,29. Em março de 2000, antes do estouro da bolha da internet, a Cisco chegou a se tornar a empresa mais valiosa do mundo, com valor de mercado de mais de US$ 500 bilhões. Ontem, valia US$ 196,4 bilhões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

17 de outubro de 2007 | 08h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.