Citadel, terceira maior rádio dos EUA, pede concordata

A Citadel Broadcasting, terceira maior rádio dos Estados Unidos, pediu concordata hoje numa tentativa de reestruturar sua dívida em meio à queda das receitas com anúncios. De acordo com documentos enviados a uma Corte de Falências em Nova York, a Citadel declarou ativos totais de US$ 1,4 bilhão e dívidas de US$ 2,46 bilhões, em números de 30 de outubro. A empresa opera 224 estações de rádio em todos os principais mercados do país.

AE-AP, Agencia Estado

20 de dezembro de 2009 | 20h49

Em comunicado, a Citadel afirmou que chegou a um acordo com mais de 60% de seus credores, para trocar cerca de US$ 1,4 bilhão em dívida pelo controle da empresa. "Nosso negócio continuará normalmente e a empresa trabalhará para sair do processo de reestruturação o mais rápido possível", disse o CEO Farid Suleman, em nota.

O acordo deve ser especialmente prejudicial à firma de private equity Forstmann Little & Co., maior acionista da Citadel, com uma participação de quase 29%.

Tudo o que sabemos sobre:
EUArádioCitadelconcordata

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.