Citi vai indenizar investidores da WorldCom

O Citigroup anunciou que fez um acordo extrajudicial num processo aberto por investidores da Worldcom, por conta do qual terá de declarar encargos de US$ 4,95 bilhões, ou US$ 0,95 por ação, no balanço do segundo trimestre. Os investidores alegavam que haviam comprado bônus e ações da Worldcom pouco antes que esta pedisse concordata, em 2002, seguindo recomendação do Citigroup.O banco também informou que vai elevar suas reservas para cobrir outros processos por indenização. Segundo o banco, as reservas pré-impostos para cobrir sua exposição a outros casos semelhantes, como o da Enron, serão elevadas para US$ 6,7 bilhões.O processo, no caso da Worldcom, foi centrado contra a unidade de banco de investimentos do Citigroup, o Salomon Smith Barney, e seu analista de telecomunicação, então um "astro" do mercado, Jack Grubman, que recomendou as ações da WorldCom até dias antes de a companhia de telecomunicações entrar em colapso por fraude contábil.Pelos termos do acordo, o Citigroup vai pagar US$ 1,64 bilhão, ou US$ 2,54 bilhões antes dos impostos, para os investidores que compraram ações e bônus da WorldCom entre 29 de abril de 1999 e 25 de junho de 2002. A elevação das reservas responde pela maior parte dos encargos de US$ 4,95 bilhões que serão declarados no trimestre. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.