Citigroup diz que Brasil é mercado estratégico e descarta venda

O Citigroup negou nesta sexta-feira os rumores de que pretenda se desfazer de suas operações no Brasil, depois de sua matriz ter anunciado pela manhã a cisão do grupo em duas unidades operacionais. "De acordo com o anúncio de realinhamento feito hoje, o Brasil foi confirmado como estratégico para a companhia e para o futuro do Citi. Não há nenhuma intenção de vender o negócio no país", disse o banco, em nota. O banco, que perdeu a condição de maior grupo financeiro dos Estados Unidos após uma série de prejuízos bilionários relacionados à crise de crédito internacional, tem sido alvo constante de rumores sobre a venda de seu braço no Brasil, que está no meio de um processo acelerado de consolidação bancária. Entre os potenciais interessados pelo Citigroup citados por fontes do mercado, estavam o Santander e o Bradesco. Uma das informações que corriam nesta sexta-feira era a de que o Citi poderia vender apenas parte de suas operações ao Bradesco, possibilidade também negada pela filial do banco norte-americano. "A operação e a estrutura organizacional da franquia no Brasil não sofrerão nenhum impacto e continuarão sob a liderança de Gustavo Marin (presidente do Citigroup no Brasil)", concluiu o comunicado. (Reportagem de Aluísio Alves)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.