Citigroup reduz recomendação de ações da América Latina

O Citigroup passou as ações daAmérica Latina de recomendação "neutra" para "abaixo da médiado mercado" em sua carteira global de papéis, citando riscosaos lucros das empresas e aumento das taxas de juros naregião. A América Latina foi o mercado emergente com a melhorperformance no primeiro semestre de 2008 e também tevedesempenho superior às ações mundiais, disse o grupo deestratégia em ações do Citigroup em nota com data dequarta-feira. Mas agora a valorização das ações da região está alta emrelação às médias históricas, afirmou o Citigroup. O mercado acionário da América Latina atingiu um pico em 19de maio, apontou um analista do Citi, acrescentando que asavaliações de preço, ainda que altas, estão diminuindo. Também pesa sobre a região o aumento do custo de capital emdólares. "O custo de capital em dólares para o Brasil cresceu31 pontos-básicos (em junho), em uma reversão em relação aoúltimo mês, para 6,43 por cento. Enquanto continuou a aumentarno México, com alta de 22 pontos-básicos, para 5,83 por cento." "A maioria das economias da região está mais ameaçada peloaumento da inflação, alimentada pelo aumento dos preços deenergia e alimentos, do que pela desaceleração econômica." O Citigroup moveu os mercados emergentes como um todo de"acima da média do mercado" para "neutro". Já para as regiões do Leste Europeu, Oriente Médio eÁfrica, a nota continua em "acima da média".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.