Claro vai participar de leilão da telefonia 4G

Concorrência, prevista para abril de 2012, terá também a participação da Sky; Oi e TIM pedem adiamento do leilão

EDUARDO RODRIGUES / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

16 de dezembro de 2011 | 03h06

O presidente da Claro no Brasil, Carlos Zenteno, confirmou ontem que a companhia vai participar do leilão para telefonia 4G marcado para abril de 2012. A confirmação ocorre em um momento em que outras operadoras, como Oi e TIM, pressionam o governo pelo adiamento da licitação na faixa de 2,5 gigahertz (GHz), e foi feita durante encontro com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, para o anúncio da migração da rede 3G da Claro para uma plataforma com velocidade três vezes superior.

"Nossa expectativa em relação ao leilão de 4G é bastante positiva porque achamos que a tecnologia é necessária para todos os eventos mundiais que vamos ter no País nos próximos anos. Temos que mostrar ao mundo um Brasil moderno e tecnológico, por isso vamos participar da (licitação) e implementar o 4G no Brasil", disse o executivo.

Além da Claro, a Sky também pretende participar do leilão de abril. A empresa lançou nesta semana em Brasília o primeiro serviço de banda larga 4G da América Latina, aproveitando a faixa de 2,5 Ghz herdada em 44 cidades por meio da compra da Mais TV há três anos.

Antes do 4G, porém, a Claro migrou sua rede 3G em todo o País para a tecnologia 3G+. Segundo Zenteno, os clientes da operadora em 710 municípios já sentiriam desde ontem - e sem custo adicional - uma melhora na navegação.

Investimento. A Claro investiu cerca de R$ 420 milhões nos últimos 11 meses para adaptar sua rede 3G (HSDPA) para HSDPA+. De acordo com o executivo mesmo os assinantes da companhia no Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) com velocidade 1 megabits por segundo (Mbps) por R$ 29, experimentarão velocidades maiores nos próximos seis meses sem precisar pagar mais por isso. Em aparelhos mais novos que começam a chegar ao mercado, a tecnologia 3G+ alcança picos de velocidades de até 6 Mbps.

"A nova tecnologia vai permitir melhorar experiência e a velocidade de navegação dos usuários, em uma evolução natural para se chegar ao 4G", afirmou Zenteno. Segundo ele, a companhia deve encerrar 2011 com rede 3G+ em 800 cidades, superando a marca de 1.000 municípios cobertos no próximo ano.

A Claro pretende investir R$ 3,5 bilhões em 2012 e, considerando os desembolsos dos outros membros do Grupo Telmex no País - Embratel e Net -, o plano de investimentos alcança a cifra de R$ 10 bilhões. "Ficamos contentes com o investimento, até porque achávamos que a migração para o 3G+ seria mais gradativa", avaliou Paulo Bernardo, lembrando que o passo seguinte, da rede 4G, só deve começar a ser implantado no País a partir de 2013.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.