Claro, Vivo, Oi e Nextel ainda analisam participação no leilão de 4G

A TIM é única a confirmar participação após a Anatel divulgar os valores mínimos dos lances

Rodrigo Petry, da Agência Estado,

27 de abril de 2012 | 18h43

SÃO PAULO - Após a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgar nesta sexta-feira, 27, os valores mínimos para os lances no leilão de quarta geração (4G), as operadoras de telecomunicações Claro, Vivo, Oi e Nextel informaram, por meio de suas respectivas assessorias de imprensa, que ainda "analisam" o edital das frequências e a consequente participação no processo.

A TIM é única por enquanto a confirmar participação. "Vamos participar, sim, porque depois de todo o debate dos últimos meses acreditamos que as regras estão redondas, com preços bases, o que deixa espaço para investir depois da (aquisição) da licença", afirmou hoje o presidente da TIM, Luca Luciani, durante teleconferência com analistas e investidores.

Luciani avaliou positivamente os preços propostos pela Anatel. "Minha impressão é de que o leilão será muito bom. Acredito que trará condições de competição no longo prazo", afirmou, acrescentando que as condições propostas pela Anatel não devem excluir as grandes operadoras de telecomunicação do processo.

No caso da Oi, a nota afirma que "somente após uma avaliação econômica aprofundada do edital" poderá se pronunciar sobre o assunto. A Nextel diz que analisará as oportunidades geradas pela oferta desses novos espectros de radiofrequência. "A Claro está avaliando o edital do leilão das frequências de 2,5GHz da rede 4G, publicado hoje pela Anatel", informou a empresa.

A Anatel anunciou hoje o valor mínimo de R$ 3,85 bilhões para a licitação das faixas de 450 MHz (destinada à ampliação da cobertura dos serviços na área rural) e de 2,5 GHz (destinada à implementação da quarta geração da telefonia móvel pessoal).

As garantias para participação do leilão somam R$ 830,6 milhões para todas as faixas que serão licitadas. A Anatel divulgou também o valor das garantias referentes aos compromissos assumidos pelos vencedores, que serão depositadas somente após assinatura do contrato. O valor total é de R$ 16,071 bilhões.

Com a licitação da faixa de 450 MHz, as áreas rurais serão contempladas com serviços de voz e dados (internet banda larga). Na faixa de 2,5 GHz, será introduzida no Brasil a telefonia móvel de quarta geração, que permitirá a elevação da qualidade e da velocidade na transmissão de dados.

A banda larga móvel de quarta geração (4G) chega a ser dez vezes mais rápida do que o serviço disponível atualmente. O leilão acontece em 12 de junho.  

Tudo o que sabemos sobre:
Leilão 4GAnatelTimClaroVivoOi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.