Classe C passa a liderar o mercado de sapatos no Brasil

'Nova classe média' ultrapassa a Classe B e compra 42% dos calçados; gasto médio do brasileiro é de R$ 245,6

05 de julho de 2013 | 11h04

SÃO PAULO - Os consumidores da Classe C devem responder por 42% das vendas de calçados no Brasil este ano, em um mercado que vai R$ 40 bilhões, 10% a mais que no ano passado.

Os consumidores da classe B, que no ano passado foram os principais compradores de calçados, este ano caíram para a segunda posição, com 40% do mercado, o equivalente a R$ 16 bilhões.

Os gastos da classe C com calçados chegam a R$ 17 bilhões. A classe A, que representa 9,6% do mercado, deve gastar R$ 3,9 bilhões. Desde que a pesquisa começou, em 2011, é a primeira vez que a Classe C aparece na liderança do consumo por classe social.

O gasto médio do brasileiro este ano com calçados deve ser de R$ 245,68, segundo estimativas do Pyxis Consumo, ferramenta de dimensionamento de mercado do IBOPE Inteligência.

Por região, o Sudeste apresenta o maior potencial de consumo de calçados: R$ 20 bilhões, o que equivale a metade dos gastos projetados para o país. O Nordeste é o segundo maior consumidor, com potencial estimado em R$ 7,3 bilhões (18%) e, em seguida, aparece a região Sul, com potencial de R$ 6,7 bilhões (17%).

Os principais lançamentos do mercado de calçados serão mostrados na semana que vem na Francal - Feira Internacional da Moda em Calçados e Acessórios, que ocorre entre os dias 9 e 12 de julho, em São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
sapatocalçadosclasse C

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.