R$ 1,57 bi

E-Investidor: Tesouro Direto atrai mais jovens e bate recorde de captação

Classe média poderá comprar imóvel de R$ 500 mil com FGTS

Medida não foi incluída no plano de habitação por não se tratar de habitação popular, disse Nelson Barbosa

Renata Veríssimo, da Agência Estado,

25 de março de 2009 | 18h14

O Conselho Monetário Nacional (CMN) deve aprovar nesta quinta-feira, 26, a ampliação do teto dos imóveis financiados pelo FGTS. O valor deve ser elevado de R$ 350 mil para R$ 500 mil. De acordo com o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, a medida não foi incluída no plano de habitação, anunciado nesta quarta-feira, 25, por não se tratar de habitação popular.

 

Veja também:

especial Entenda o programa de habitação do governo federal

link'Não há limite de tempo, portanto não me cobrem', diz Lula

linkBolsa-habitação limita em R$ 130 mil imóvel a ser financiado

linkMinc promete 'casas verdes' em lançamento do programa

linkNão há limite de tempo, portanto não me cobrem, diz Lula

linkDilma afirma que Bolsa-Habitação não é emergencial

linkGoverno projeta impacto positivo de 2% no PIB de 2009

 

A entrada dos imóveis financiados pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) cairá de 20% para 10%. Nos imóveis financiados com recursos do FGTS, a entrada cairá de 10% para zero.

 

Enquadram nessa categoria as moradias avaliadas em até R$ 130.000,00 (se estiverem nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro ou Distrito Federal), R$ 100.00,00 (nos municípios de até 500.000 habitantes) ou R$ 80.000,00 (nas demais regiões).

 

Infraestrutura

 

Barbosa informou também que o Tesouro vai equalizar os financiamentos destinados à infraestrutura, previstos dentro do plano de habitação. Segundo ele, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) emprestará os recursos à Caixa Econômica Federal, cobrando Taxa de Juro de Longo Prazo (TJLP) mais 2,5% ao ano.

 

O Tesouro irá equalizar os 2,5% para que a Caixa possa emprestar os recursos a TJLP, mais 1% ao ano. Se os R$ 5 bilhões previstos forem utilizados, a equalização que terá que ser arcada pelo Tesouro será de R$ 12,5 milhões.

 

Até 10 salários

 

Até o dia 13 de abril, o governo promete divulgar os procedimentos para que as famílias que recebem até 10 salários mínimos tenham acesso ao programa habitacional. Veja abaixo os principais pontos do plano:

 

- meta: construir 1 milhão de casas (não tem prazo). O déficit habitacional é de 7,2 milhões de moradias. O programa reduz o déficit em 14%.

 

- público-alvo: famílias com renda de até 10 salários mínimos (R$ 4.650,00).

 

- quanto custará: R$ 34 bilhões em recursos do Tesouro e do FGTS.

 

- quando será desembolsado este ano (previsão inicial): R$ 6 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
imóvelclasse média

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.