Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Clientes têm vantagens com uso de milhagem

O programa de milhagem - uma espécie de premiação para clientes que constantemente usam o mesmo serviço de determinada empresa - está completando 20 anos. Inicialmente utilizado pelas companhias aéreas, o programa ganhou espaço em outros setores, como o de cartões de crédito. A Credicard, por exemplo, tem desde 1994 os cartões "co-branded" - uma parceria entre empresas e a administradora. Segundo Cesário Nakamura, diretor de marketing da empresa, o cliente escolhe o tipo de cartão afinidade que mais o agrada, de supermercados a montadoras de automóveis. A vantagem para o consumidor é que os pontos acumulados podem ser trocados por produtos. "Mesmo que o cliente use o cartão em lojas de roupas, ele acumula pontos que podem ser trocados por produtos no hipermercado", diz Nakamura.Empresas aéreas: pioneiras na atuaçãoOs primeiros programas de milhagem foram lançados pelas companhias aéreas. Em 1993, a TAM lançou seu programa Fidelidade e, a partir do lançamento, já conquistou 1,1 milhão de clientes e ofereceu 1,1 milhão de prêmios. Em 1994, a Varig lançou o Smiles. Veja as características dos principais programas de fidelização das companhias aéreas:EmpresaPremiaçãoTAMQuando o passageiro entra no programa de fidelidade, ele recebe um cartão branco e, a cada trecho que ele voar, ganha um ponto. Ao somar dez pontos, ele ganha uma passagem para qualquer lugar da América do Sul. Se o passageiro acumular 12 pontos ao final de um ano, ele passa para o cartão azul. Neste cartão, cada trecho começa a valer 1,25 ponto. Já se o passageiro somar 48 pontos em um ano, ele recebe o cartão vermelho. Neste cartão, cada trecho vale 1,5 ponto.VaspA cada trecho voado o passageiro guarda o canhoto da passagem. Quando acumular nove canhotos, ele ganha uma passagem para qualquer lugar do BrasilTransBrasilO passageiro acumula milhas. Quando somar 18 mil milhas, ele ganha uma passagem para o interior do Brasil e América do Sul. Com 45 mil milhas, a passagem pode ser trocada por uma para a América do Norte e com 63 mil milhas o passageiro pode ir para a Europa.VarigA cada trecho percorrido o cliente acumula milhas que valem por quatro anos. Ao somar 20 mil milhas, ele pode trocar por uma passagem econômica para qualquer lugar da América do Sul. Com 50 mil, ele troca por uma passagem para qualquer lugar da América do Norte. Com 70 mil milhas, para a Europa e 90 mil milhas, para a Ásia.

Agencia Estado,

07 de maio de 2001 | 16h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.