Clima impulsiona preços dos grãos

Os preços dos grãos negociados na Bolsa de Chicago tiveram alta expressiva ontem, com preocupações relacionadas ao clima. O mercado de milho liderou a valorização. Há incerteza quanto ao plantio nos Estados Unidos. O excesso de chuva vem impedindo o cultivo em algumas regiões. E o ritmo de plantio está bem mais lento do que o normal. Ontem, o governo informou que apenas 9% da nova safra foi plantada, enquanto a média dos últimos cinco anos para esta época é de 23%. Se o atraso não for contornado, a produtividade nas lavouras plantadas mais tarde pode cair. Além disso, diante desse risco, produtores podem desistir de plantar. Eventuais problemas na oferta, num momento de estoques apertados, impulsionam os preços. O contrato do milho para entrega em julho subiu 3,22% e fechou a US$ 7,6850 por bushel.

, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2011 | 00h00

O clima também puxou os preços do trigo. A seca persiste no sul das Grandes Planícies dos Estados Unidos e na Europa, onde o momento é de colheita, enquanto o excesso de chuva e as baixas temperaturas atrasam o plantio no norte das Grandes Planícies e no Canadá. Essas regiões são importantes exportadoras de trigo. O cereal também sofre a influência positiva do milho, já que os dois produtos são usados como ração. A alta ontem foi de 3,17% em Chicago. A soja foi na esteira dos outros mercados e, recuperando-se de fraqueza anterior, avançou 0,49%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.