Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Clima no Brasil faz café disparar em NY

Os preços do café disparam na Bolsa de Nova York, ontem, diante da possibilidade de a próxima safra brasileira ser prejudicada pelo clima. Maior produtor mundial do grão, o Brasil já terá uma colheita menor em 2011/2012 por causa da bianualidade da lavoura, em que, após um ano de grande produção, se segue outro, de menor volume. Com a oferta de grãos do tipo arábica já estreita neste ano, uma safra menor no Brasil deixaria os estoques mundiais ainda mais apertados. No mercado futuro, o contrato futuro para março disparou 4,1%, para 233,85 centavos de dólar por libra-peso, o maior preço em 13 anos e meio.

Análise: Ana Conceição, O Estado de S.Paulo

22 de dezembro de 2010 | 00h00

Os temores a respeito da safra brasileira foram reforçados após a Somar Meteorologia informar que as chuvas da semana passada favoreceram o aparecimento dos primeiros focos de ferrugem nos cafezais. Mais precipitação, de volume baixo, mas constante, está prevista nos próximos dias em todas as regiões cafeeiras da região Sudeste. Isso deve favorecer a proliferação do fungo da ferrugem nas folhas dos cafeeiros, diz a Somar. Já no extremo oeste do Triângulo Mineiro, a baixa umidade do solo, provocada pela escassez de chuvas, está comprometendo o pleno desenvolvimento do cafezal e as temperaturas elevadas têm provocado o abortamento de alguns frutos. Em algumas áreas do cerrado mineiro já se registra quebra de até 20% na produtividade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.