Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

CMN amplia em R$ 2 bi linhas do PSI

O Conselho Monetário Nacional (CMN) ampliou nesta quarta-feira em R$ 2 bilhões as linhas de financiamento para micro, pequenas e médias empresas beneficiadas pelo Programa de Sustentação do Investimento (PSI) do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O reforço ocorreu com o remanejamento de recursos que estavam destinados ao financiamento para aquisição de ônibus e caminhões.

RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

21 de março de 2012 | 18h16

Segundo nota do Ministério da Fazenda, o limite de recursos, que conta com a subvenção do Tesouro Nacional, para a linha de micro, pequenas e médias empresas subiu para R$ 14 bilhões com decisão de hoje do CMN. A mudança foi votada em reunião extraordinária do conselho.

O Ministério informou que, dos R$ 12 bilhões aprovados anteriormente, restava apenas um saldo de pouco menos de R$ 500 milhões. As empresas com receita operacional bruta de até R$ 90 milhões anuais poderão contratar os financiamentos com taxa de juros de 6,5% ao ano.

O PSI foi criado em julho de 2009 durante a crise financeira internacional para estimular a produção, a aquisição e a exportação de bens de capital e a inovação tecnológica. Para garantir juros mais baratos às empresas, o Tesouro Nacional equaliza as taxas oferecidas pelo BNDES.

Tudo o que sabemos sobre:
CMNempresascréditosBNDES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.