Divulgação
Divulgação

Secretária de Fazenda de Goiás esclarece que resolução do CMN beneficia CelgPar

Estado vai ficar com financiamento da companhia no valor de R$ 1,9 bilhão

Rachel Gamarski, O Estado de S.Paulo

21 Julho 2016 | 10h57
Atualizado 21 Julho 2016 | 18h20

A secretária de Fazenda de Goiás, Ana Carla Abrão, esclareceu nesta quinta-feira, 21, que a dívida de R$ 1,9 bilhão que será transferida para o Estado é da CelgPar, e não da Celg Distribuições. "Essa dívida já era garantida pelo Estado e resolve questões contábeis para a venda da Celg-D", disse ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado. 

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou uma resolução que acaba por beneficiar a CelgPar e autoriza o Estado de Goiás a assumir o financiamento da empresa. 

A secretária reforçou que tanto a venda da companhia elétrica quanto a resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN) sobre a dívida da CelgPar não têm impacto no endividamento da União. "A preocupação era garantir que a venda não aumentasse o endividamento da União", esclareceu, antes de reforçar que a dívida que agora passa a ser de responsabilidade do Estado não tinha como garantidora nem a Celg-D  nem a Eletrobras. 

O Estado agora terá que pagar à Caixa essa dívida. Porém, a secretária disse que não há uma definição sobre como esse pagamento será feito. "Ainda não sabemos se iremos renegociar, pagar com os recursos da venda da Celg-D ou como iremos fazer. Essa é outra questão", destacou. 

De acordo com Ana Paula, a medida não muda o valor da Celg-D, que está à venda e com a qual o governo federal espera arrecadar R$ 2,8 bilhões. Esse valor, segundo ela, já desconta o endividamento da Celg-D.

A secretária destacou ainda que está confiante com a venda da companhia. Segundo ela, há interessados e a venda está andando bem. "Temos grupos interessados, a situação melhorou e estamos otimistas", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.