CMN dá mais espaço para FGC comprar carteiras de crédito

O Conselho Monetário Nacional (CMN) ampliou nesta quarta-feira o volume de recursos que o Fundo Garantidor de Crédito (FGC) pode destinar à compra de carteiras. Foi elevado de 20 para 50 por cento do patrimônio líquido do FGC o limite para aquisição de "direitos creditórios de instituições financeiras e de sociedades de arrendamento mercantil e para aplicação em depósitos a prazo, em letras de arrendamento mercantil e em letras de câmbio de aceite de associadas quando lastreados em direitos creditórios", segundo nota divulgada pelo Banco Central. O limite anterior, de 20 por cento, só podia ser aplicado na aquisição de direitos creditórios. No final de novembro, o patrimônio líquido do FGC era de 18 bilhões de reais. (Texto de Daniela Machado)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.