CMN inclui navios e sondas em Fundo da Marinha Mercante

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou, na noite desta sexta-feira, 28, a inclusão de navios e sondas no rol de itens financiáveis pelo Fundo da Marinha Mercante e colocou condições vantajosas para itens com pelo menos 65% dos componentes de fabricação nacional. A medida beneficia a Petrobrás.

EDUARDO RODRIGUES E RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

28 de junho de 2013 | 18h52

"A inclusão dos navios e sondas foi feita a pedido do Ministério dos Transportes. Há uma demanda crescente do setor, inclusive necessidade de colocar em funcionamento 38 unidades industriais para operação do pré-sal", afirmou o assessor econômico do Tesouro Nacional, Bruno Leal.

No caso de itens com pelo menos 65% de conteúdo nacional, o porcentual financiável é de até 90%, com taxas de juros entre 3% e 5% ao ano. Para os bens importados, o financiamento vai apenas até 20% do valor, com juros de 3,5% a 6% ao ano. O prazo de carência proposto é de quatro anos e o prazo de amortização é de até 15 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
CMNFundo de Marinha Mercante

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.