finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

CMN muda regras para comitês de Auditoria

O Conselho Monetário Nacional adotou nesta terça-feira uma medida que irá melhorar a atuação dos comitês de Auditoria da Caixa Econômica Federal e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Conforme a decisão do CMN, os comitês de auditoria das instituições financeiras públicas com capital fechado terão que funcionar apenas com integrantes externos a partir de 31 de maio de 2007. A decisão atinge apenas a Caixa e o BNDES. Os demais bancos públicos de capital fechado, de acordo com o diretor de Fiscalização do Banco Central (BC), Paulo Cavalheiro, não conseguem reunir os requisitos mínimos para que se possa exigir a criação de um comitê de auditoria. Para isto, é necessário que o banco tenha um patrimônio de referência de valor igual ou maior que R$ 1 bilhão ou administre de recursos de terceiros num valor equivalente ou superior a R$ 1 bilhão. Pelas regras atuais, os bancos públicos com capital fechado podem ter em seus comitês de auditoria diretores da própria instituições e membros independes. A mudança aprovada hoje pelo CMN deverá aumentar a transparência das contas destas instituições e melhor o nível de governança corporativa dos bancos público com capital fechado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.