CNA: alta de 9,9% no valor da produção agropecuária

São Paulo, 13 - A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) prevê crescimento de 9,9% no valor da produção agropecuária brasileira (VBP) em 2013, para R$ 453,3 bilhões. Os técnicos da CNA afirmam que a expansão do VBP se deve à valorização dos preços da maioria dos produtos agropecuários neste ano, "apesar das quedas registradas em março".

VENILSON FERREIRA, Agencia Estado

13 de maio de 2013 | 18h09

Pelas projeções da CNA, o faturamento do setor agrícola deve atingir R$ 269,4 bilhões e crescer 10,5% neste ano, impulsionado pelo aumento da produção de algumas culturas, como a soja, que enfrenta dificuldades no escoamento, provocadas pelas deficiências da infraestrutura logística brasileira. "Esses fatores não têm comprometido a receita da cadeia, pois as cotações permanecem em patamares elevados e a produção é 23,4% superior à da safra passada", dizem os técnicos.

Eles observam que os fatores logísticos e a expectativa de boa produção na safrinha de milho também pressionam os preços do cereal no mercado interno, mas, mesmo assim, a expectativa para o valor da produção se mantém positiva. A confederação prevê que o faturamento bruto obtido com a venda de milho deve somar R$ 38,7 bilhões neste ano, valor 10,5% acima do registrado em 2012. "Esse desempenho reflete o aumento de 6% da produção do cereal e a valorização dos preços do grão no acumulado de 2013", observam.

No caso do café, a estimativa da CNA é de queda de 35,9% no valor da produção, para R$ 16,1 bilhões. Os técnicos da entidade afirmam que "a retração dos preços, influenciada pelo movimento especulativo de aposta de queda no curto prazo, e os problemas financeiros do Chipre têm reduzido as cotações do grão na Bolsa de Nova York". Eles destacam que a redução da produção no México e na América Central, provocada por questões fitossanitárias, e a forte estiagem no Vietnã não têm sido suficientes para alterar esse cenário.

A projeção da CNA para o setor pecuário é de crescimento de 9% no faturamento em 2013, para R$ 165,9 bilhões. Para o leite, a perspectiva é de receita de R$ 32,5 bilhões. O valor deve ficar 8,6% acima do registrado em 2012, impulsionado pela alta de 6,4% nos preços. Os técnicos da CNA dizem que o aumento do custo com a alimentação, em virtude, principalmente, da aceleração das cotações de milho, levou os criadores a reduzir a produção e os investimentos na atividade leiteira no decorrer de 2012.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.