CNA diz governo tem de negociar fim do embargo para MT e TO

O presidente do Fórum Nacional de Pecuária de Corte, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Antenor Nogueira, comemorou hoje a notícia de que a Rússia suspendeu o embargo às exportações de carne brasileira. Ele avaliou que num primeiro momento o fim do embargo é uma grande vitória dos negociadores brasileiros que estão em Moscou, mas disse que o governo brasileiro tem agora de negociar com a Rússia para que sejam liberadas também as exportações de carne de Mato Grosso e Tocantins. Como são vizinhos ao Pará, onde se registrou o foco de aftosa, esses dois Estados não podem vender para a Rússia por um período limitado de 12 meses. A suspensão de compra fornecida por Estados vizinhos está prevista em acordo assinado no governo passado pelo então secretário de Defesa Agropecuária, Luiz Carlos de Oliveira. Antenor diz que Mato Grosso é um Estado reconhecido como área livre de febre aftosa com vacinação e que o último foco da doença foi registrado no Estado há mais de 7 anos. No Tocantins, o status sanitário é o mesmo, isto é, livre de aftosa com vacinação. O último foco em Tocantins foi registrado há cerca de 5 anos. "Esses dois Estados, que são representativos na pecuária, não podem ser prejudicados só porque foi confirmado um foco em uma região vizinha", afirma Antenor. Ele sugeriu que o governo brasileiro proponha à Rússia um "cordão de isolamento sanitário" em torno do município de Monte Alegre, no Pará, onde foi registrado o foco de aftosa. As demais regiões ficariam então livres para manter suas exportações. O rebanhos dos Estados de Tocantins e Mato Grosso somam cerca de 25 milhões de cabeças.

Agencia Estado,

30 de junho de 2004 | 09h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.