CNA vai questionar exclusão de fazendas de lista da UE

O Fórum Nacional Permanente de Pecuária de Corte da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) decidiu hoje entregar ao Ministério da Agricultura um documento no qual vai questionar a não-inclusão de propriedades rurais na lista das habilitadas à exportação de bovinos à União Européia (UE). De acordo com o presidente do Fórum, Antenor Nogueira, o curto prazo para as auditorias nas propriedades, iniciadas em 10 de janeiro, e ainda os problemas com os inspetores do governo foram os principais problemas apontados pelos pecuaristas excluídos da lista."É preciso negociar uma forma de fazer isso sem prejudicar propriedades classificadas que ficaram de fora pela falta de tempo", disse. "Boa parte das propriedades não sabia da vistoria e ficou em inconformidade por não ter um funcionário capacitado para responder as perguntas", completou Nogueira.A lista inicial incluía 739 propriedades habilitadas para exportar à UE pelas regras dos Estabelecimentos Rurais Autorizados no Serviço de Rastreabilidade da Cadeia Produtiva de Bovinos e Bubalinos (ERAs). O documento, com a possível inclusão de novas propriedades, seria entregue hoje, em Bruxelas (Bélgica), ao Serviço de Sanidade e Controle, pelo secretário de Defesa Sanitária Inácio Kroetz.Nogueira criticou ainda as duras regras para a habilitação de uma propriedade como ERAs e afirmou que na Espanha, que integra a UE, as normas são menos rígidas. O presidente do Fórum Nacional Permanente de Pecuária de Corte da CNA afirmou também que uma missão da entidade irá à Argentina em fevereiro para avaliar o sistema de rastreabilidade daquele país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.