CNC: intenção de consumo recua 2,9% em janeiro

O entusiasmo dos consumidores em relação a compras esfriou em janeiro. É o que mostrou hoje a Confederação Nacional do Comércio (CNC), que anunciou a Pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF-Nacional) do primeiro mês do ano. De acordo com a entidade, o indicador de Intenção de Consumo das Famílias caiu 2,9% em janeiro ante dezembro, interrompendo uma sequência de oito meses de alta.

ALESSANDRA SARAIVA, Agencia Estado

18 de janeiro de 2011 | 11h02

Para a CNC, o efeito sazonal de fim de ano explica as oscilações entre um mês e outro. A entidade lembrou que, em dezembro, houve alta recorde de 3,1% no indicador. Na comparação com janeiro de 2010, o indicador subiu 2,8% em janeiro deste ano.

O índice, calculado a partir de entrevistas com 18 mil consumidores, vai de zero a 200 pontos. Resultados abaixo de 100 pontos são considerados pessimistas e desempenhos acima deste nível são otimistas. De acordo com a CNC, o indicador recuou de 143,4 pontos para 139,3 pontos de dezembro para janeiro.

Entre os sete componentes do indicador, apenas dois não apresentaram recuo de dezembro para janeiro. É o caso de Emprego (instabilidade) e Renda Atual (alta de 0,1%). Os outros cinco componentes tiveram queda no mesmo período: Perspectiva Profissional (baixa de 3,5%), Compra a Prazo (queda de 2,8%), Consumo Atual (recuo de 3,9%), Perspectiva de Consumo (queda de 5,0%) e Momento para Duráveis (baixa de 5,3%).

Tudo o que sabemos sobre:
intensãoconsumofamíliasíndiceCNC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.