CND propõe retirar docas do programa de desestatização

O Conselho Nacional de Desestatização (CND) publicou no Diário Oficial de hoje resolução propondo ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a exclusão de oito companhias docas responsáveis pela administração de portos marítimos e fluviais do Programa Nacional de Desestatização (PND). Na resolução, o CND propõe também que a Secretaria Especial de Portos, publique, no prazo de 180 dias, o novo modelo de gestão por resultados, onde serão estabelecidas as metas e os indicadores de desempenho a serem atingidos pelas companhias docas. Hoje pela manhã, em entrevista coletiva, o secretário especial de Portos, ministro Pedro Brito, disse que uma das metas do governo federal para o setor portuário no próximo ano é o saneamento das Companhias Docas do País, que têm débitos de R$ 1,5 bilhão com dívidas trabalhistas e com o fundo de pensão dos portuários, o Portus. São as seguintes as companhias docas a serem excluídas do PND: Companhia Docas do Rio de Janeiro(CDRJ), Companhia Docas do Estado da Bahia (CODEBA), Companhia Docas do Ceará(CDC),Companhia Docas do Estado de São Paulo(CODESP), Companhia Docas do Pará (CDP), Companhia Docas do Maranhão (CODOMAR),Companhia Docas do Rio Grande do Norte(CODERN) e Companhia Docas do Espírito Santo(CODESA).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.