CNDL/SPC: inadimplência tem avanço recorde no País

A inadimplência do consumidores em abril cresceu acima da média nacional em 18 das 27 unidades da federação, se comparada com o mesmo mês do ano anterior. A aceleração do índice nacional no mês passado, de 8,60%, foi a maior da série histórica, iniciada em janeiro de 2010. Os dados são do indicador mensal de inadimplência regional calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL)

JOÃO BOSCO LACERDA, ESPECIAL PARA A AE, Agencia Estado

20 de maio de 2014 | 19h24

Dentre os cinco Estados que registraram o maior crescimento da inadimplência, dois são da região Nordeste - Maranhão (13,21%) e Rio Grande do Norte (11,70%) -, dois são da região Norte - Amapá (13,20%) e Acre (12,42%) - e um é da região Sul, o Paraná, com 12,74%.

Apenas nove Estados apresentaram avanço menor do que a média nacional (8,60%) de consumidores inadimplentes: Paraíba (8,57%), Alagoas (8,04%), Rio Grande do Sul (7,92%), Rio de Janeiro (7,70%), Mato Grosso (7,58%), Pará (7,11%), São Paulo (6,96%), Amazonas (5,66%) e Espírito Santo (5,46%).

Na avaliação da economista-chefe do SPC Brasil, Luiza Rodrigues, os dados sobre a inadimplência continuam refletindo as condições menos favoráveis da atividade econômica nacional, impactada negativamente pela elevação da inflação, aperto monetário e crescimento moderado da massa salarial. "Nesse sentido, percebe-se que nos Estados de regiões onde houve um processo recente de aumento do acesso ao crédito, como Norte e Nordeste, a alta foi mais significativa", avalia a economista.

Setores

Dívidas bancárias representam a maior parte dos atrasos na Região Sudeste (54%), enquanto, no Norte, a participação dessa categoria representa 31%. A análise setorial mostra que as dívidas em atraso com bancos cresceram em todas as regiões, porém, a maior alta foi de 7,51% no Nordeste, seguida pela região Norte (6,97%). "Os dados confirmam uma maior bancarização nestas regiões, onde o setor que concentra a maior parte das dívidas é o comércio", afirma Luiza Rodrigues.

O crescimento da inadimplência no comércio também foi generalizado entre as regiões, com destaque para o Sul do País, onde as dívidas dessa categoria cresceram 5,07%. As dívidas cujos credores são segmentos de comunicação também avançaram em todas as regiões, com destaque para a região Norte, com alta de 15,18%.

Já no caso das dívidas cujos credores são empresas de água e luz houve queda em duas regiões. No Norte foi registrado recuo de 6,79% na comparação entre abril de 2014 e o mesmo período do ano anterior. No Sudeste, a queda foi de 4,52%.

Tudo o que sabemos sobre:
INADIMPLÊNCIACNDLSPCABRIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.