CNI alerta para demissões em setores de calçados e móveis

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Armando Monteiro, disse hoje que alguns setores como calçados e móveis estão sofrendo com a atual taxa de câmbio "e já há até demissões". De acordo com ele, a perda de rentabilidade nesses setores "é até dramática". Por outro lado, afirmou, há setores como o siderúrgico "que têm uma margem maior para conviver com isso". De acordo com Monteiro, o dólar não está prejudicando as exportações por motivos como os contratos de prazo longo e porque "o empresário não tem opção de reorientar exportação" em alguns casos. Em setores como o siderúrgico há preços que se valorizam em dólar. Monteiro afirmou ser favorável às metas de inflação menos rígidas e defendeu que os indexadores de preços administrados sejam revistos. Ele disse ainda que o Brasil "precisa estar preparado para adotar salvaguardas e também medidas antidumping" contra produtos chineses. "Há áreas em que a entrada de produtos chineses no Brasil é avassaladora", disse, citando o setor têxtil.Monteiro afirmou ainda que o Brasil tem todas as condições de se transformar em um grande exportador de produtos e serviços de informática, e criticou o sistema tributário nacional, especialmente o ICMS. No caso desse tributo, segundo Monteiro, "os Estados não têm muito interesse na exportação".De acordo com ele, há casos em que o estado exportador tem que compensar o crédito de ICMS de uma receita que ele não teve referente a um insumo, por exemplo, adquirido em outro Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.