Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

CNI: atividade industrial atinge 53,3 pontos em março

A produção industrial cresceu moderadamente em março em relação a fevereiro, conforme a Sondagem Industrial divulgada nesta manhã pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em uma escala na qual valores acima de 50 pontos significam crescimento, o indicador de produção do mês passado registrou 53,3 pontos. Em fevereiro, o indicador havia ficado em 51 pontos.

EDUARDO RODRIGUES, Agencia Estado

27 de abril de 2011 | 11h35

De acordo com a entidade, com o ritmo moderado de expansão no primeiro trimestre do ano, o resultado de março ficou bem abaixo do verificado no mesmo mês de 2010, quando o indicador registrou 62,9 pontos. Ou seja, houve uma expansão mais disseminada e intensa do que a verificada este ano.

Além disso, o nível de utilização da capacidade instalada (Nuci) registrou 47,4 pontos. Isso significa que a indústria operou a um nível abaixo do usual para o terceiro mês do ano, uma vez que o indicador ficou abaixo da linha divisória dos 50 pontos. Em fevereiro, a variável havia registrado 47 pontos. Da mesma forma, o desempenho, em 2011, foi inferior ao obtido em março do ano passado, quando o Nuci registrou 54 pontos. De acordo com a CNI, o porcentual médio de utilização da capacidade instalada chegou a 74% em março, dois pontos porcentuais acima da avaliação feita pelos empresários em fevereiro.

Apesar do ritmo mais fraco de crescimento da indústria, o emprego no setor continuou a se expandir em março, com indicador de 51,2 pontos. Por outro lado, o nível dos estoques nas fábricas ficou relativamente estável no mês, com 50,5 pontos, mesmo patamar da variável que mede os estoques em relação ao planejado pelos empresários.

A Sondagem Industrial divulgada hoje pela CNI foi realizada com 1.569 empresas entre os dias 31 de março e 14 de abril.

Tudo o que sabemos sobre:
indústriaatividadeCNIpesquisamarço

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.