CNI: confiança do empresário industrial sobe 59 pontos

O Índice de Confiança do Empresário Industrial, medido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), alcançou 59 pontos, em janeiro. Segundo a pesquisa divulgada nesta quarta-feira, janeiro traz normalmente um índice de confiança mais alto do empresário, porque reflete o aumento de vendas ocorrido no final do ano anterior, e também as perspectivas otimistas para o novo ano.Em janeiro de 2006, o índice estava um pouco mais baixo que o de janeiro deste ano, alcançando 57 pontos. Segundo a CNI, o aumento da confiança do empresário foi verificado tanto entre grandes empresários (60,8 pontos) quanto entre os pequenos e médios (58 pontos).Na comparação com a pesquisa anterior (outubro), os grandes empresários apresentaram um índice de 58,4 pontos, enquanto os pequenos e médios, 53,2 pontos. "A melhora na confiança dos empresários deveu-se ao sentimento de que a situação dos negócios parou de piorar e à melhora das expectativas para os próximos seis meses", afirma o documento.ExpectativasO indicador de expectativas dos empresários industriais para os próximos seis meses também aumentou, segundo pesquisa da CNI. O índice apurado na pesquisa atual foi 63,4 pontos contra 59,2 pontos registrado na pesquisa de outubro passado. Em relação a janeiro do ano passado, o aumento no indicador foi de apenas 0,6 pontos já que naquele período estava em 62,8 pontos.Na avaliação da CNI, "o crescimento da confiança do industrial em janeiro é positivo, mas não foi forte o suficiente para se esperar um aumento significativo no atual ritmo de crescimento da indústria. No primeiro semestre de 2007, o nível de atividade deverá continuar crescendo, mas a um ritmo bem próximo ao atual", ressalta o documento.A pesquisa mostra que os empresários apostam que a economia vai melhorar nos próximos seis meses, com o indicador de expectativas para esse cenário em 58,6 pontos contra 54,2 da pesquisa de outubro. Também há uma melhora de expectativas quanto ao setor de atividades e o próprio negócio. Esses indicadores passaram de 55,8 para 60,6 pontos e 63,2 para 66,8 pontos, respectivamente, e sempre comparando a pesquisa atual com a de outubro do ano passado.A CNI ouviu executivos de 189 grandes empresas e de 1.137 pequenas e médias empresas entre os dias 2 de janeiro e 19 de janeiro em 22 estados brasileiros. Pela metodologia adotada, quanto mais acima de 50 pontos estiver o indicador apurado, maior é o otimismo e a confiança dos entrevistados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.