CNI considera aumento da taxa Selic 'inadequado'

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) considerou "inadequada" a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de elevar a taxa básica de juros da economia em 0,25 ponto porcentual, para 12% ao ano. "A alta de 0,25 ponto dos juros básicos, ainda que em ritmo menor que na reunião passada, mostra uma perspectiva de combate ao aumento dos preços centrada unicamente na política monetária, sem o peso devido da política fiscal", diz a nota divulgada hoje pela entidade.

EQUIPE AE, Agencia Estado

20 de abril de 2011 | 21h11

"O aumento da Selic aponta para um ciclo de aperto monetário com reflexos na valorização cambial e graves danos à atividade produtiva. A política fiscal é subutilizada no controle da inflação, quando deveria ser prioritária para evitar uma alta sistemática dos preços", acrescenta a nota.

Para a CNI, a experiência internacional mostra que o controle do gasto público causa efeitos mais eficientes e rápidos sobre o nível geral de preços do que a política monetária. "O custo econômico desse impacto é substancialmente menor, tanto em termos de crescimento do Produto Interno Bruto como na duração do ciclo de ajuste ao longo dos anos". Ainda segundo a nota, "a busca do controle da inflação unicamente pela via monetária concentra o ônus sobre o setor produtivo e encarece consideravelmente o investimento."

Tudo o que sabemos sobre:
jurosSelicindústriaCNI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.