CNI: corte da Selic mostra preocupação com economia

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) avaliou que a "a decisão de reduzir mais uma vez a taxa Selic, em 0,50 ponto porcentual, é correta e evidencia a preocupação do Comitê de Política Monetária (Copom) com a retração já em curso da atividade econômica no País".

AE, Agencia Estado

30 de novembro de 2011 | 20h20

De acordo com a Confederação, "não há mais dúvida de que a economia brasileira já sofre os efeitos de uma nova fase da crise internacional". E, portanto, defende a Confederação, "a prioridade, agora, deve ser mitigar seus impactos no Brasil".

Para a CNI, ao antecipar-se à nova fase da crise, o Copom adotou postura diferente da mostrada na crise de 2008, quando foi tímido. Na opinião da CNI, a continuidade da política de redução de juros é fundamental para amenizar a desaceleração da produção industrial, setor mais afetado pela crise.

A CNI considera que essa redução "não traz riscos imediatos à inflação, uma vez que os dados recentes mostram desaceleração da taxa inflacionária, principalmente em função dos preços dos alimentos". Esse cenário, prevê a CNI, deve manter o IPCA próximo ao limite superior da meta do ano.

Tudo o que sabemos sobre:
SelicCNI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.