carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

CNI descarta PIB de 2,5% em 2003 e faz projeção entre 1,8% a 2%

A previsão do governo de que o Produto Interno Bruto (PIB) de 2003 poderá alcançar 2,5% dificilmente se realizará, na avaliação do coordenador do núcleo de política econômica da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Flávio Castelo Branco. "Para isso ocorrer, o segundo semestre teria de registrar taxas muito elevadas, o que só seria possível com redução muito acentuada nas taxas de juros. O Banco Central, porém, tem sido muito conservador na condução da política monetária", afirmou. A CNI está trabalhando com a previsão de que o PIB este ano ficará entre 1,8% e 2%, com a indústria registrando expansão entre 1,6% e 1,8%. Castelo Branco disse que a entidade ainda não revisou estes números, o que só deverá ocorrer em junho, mas ele particularmente acredita na possibilidade de que a revisão seja para baixo. Segundo Castelo Branco, o poder aquisitivo da população está baixo e continua caindo, o que inibe a demanda. "Só o setor exportador tem registrado bons desempenhos, mas as exportações representam apenas uma pequena fração da produção total da indústria", comentou.

Agencia Estado,

12 de maio de 2003 | 16h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.