CNI e Força querem mudanças para novo trabalhador

O presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), afirmou nesta segunda-feira que a entidade está aberta a discutir mudanças na Previdência Social apenas para os trabalhadores que ainda não entraram no mercado de trabalho. Ao chegar para a solenidade de lançamento do Fórum Nacional da Previdência, cuja criação está prevista no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da economia, ele disse que essas são mudanças que resultarão na "Previdência do futuro", mas avisou que a Força Sindical é "totalmente contra" as propostas de alterações - defendidas por vários setores da sociedade - nas regras da Previdência para os trabalhadores que já estão no mercado de trabalho.Pereira informou que a Força é contra também à desvinculação do reajuste do salário mínimo do reajuste dos benefícios da Previdência. O deputado defendeu mudança na forma de cobrança da contribuição previdenciária, hoje incidente sobre a folha de pagamento, para que passe a incidir sobre o faturamento líquido das empresas.O presidente da Força Sindical disse que a criação do Fórum da Previdência é positivo para que a sociedade possa discutir as mudanças, mas ressaltou que só o fórum não vai resolver, porque é o Congresso Nacional a instituição que tem como responsabilidade aprovar as alterações. O deputado afirmou que é o governo que deve enviar proposta ao Congresso, porque tem mais força política e 11 partidos de apoio.CNI apóia novo sistemaA proposta de mudança apenas para os novos trabalhadores foi defendida também pelo presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), deputado Armando Monteiro Neto (PTB), que apóia que um novo sistema previdenciário (para o INSS) tenha validade apenas para quem ingressar no mercado de trabalho depois que ele entrar em vigor.Ele defendeu que o novo sistema seja um regime de capitalização e que o trabalhador receba de acordo com os valores de contribuição capitalizados ao longo do tempo. Para ele, no novo regime, será necessário definir idade mínima para a aposentadoria, mas ele não quis indicar qual seria esta idade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.