CNI espera retomada da queda dos juros ao longo do ano

A decisão do Banco Central (BC) de manter o juro básico da economia brasileira (taxa Selic) em 11,25% ao ano não surpreendeu, uma vez que já foi sinalizada nas atas anteriores, afirmaram os economistas da Confederação Nacional da Indústria (CNI). De acordo com eles, os sinais de manutenção da forte taxa de crescimento da demanda interna em um ambiente de incertezas quanto ao cenário da inflação são as justificativas do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC para a manutenção dos juros.Os técnicos da CNI entendem que a decisão de efetuar cortes substanciais nos gastos no Orçamento de 2008, em razão da perda da arrecadação da CPMF, deverá promover maior sintonia entre as políticas monetária e fiscal ao longo do ano e permitir a retomada da trajetória de queda da Selic. Como contra-senso, o aumento do IOF sobre as operações de crédito eleva, mais uma vez, o custo financeiro dos tomadores de crédito, com impactos negativos sobre a atividade produtiva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.