CNI lança projeto que prioriza 8 eixos de investimento

Um estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI) defende que o governo dê prioridade a oito eixos de investimento em infraestrutura para remover os principais gargalos logísticos nos estados da Região Sul do País. Lançado nesta terça-feira, o projeto Sul Competitivo afirma que esses oito eixos englobam as principais regiões produtoras, alcançam todos os portos e dariam maior competitividade à região.

ANNE WARTH, Agencia Estado

28 de agosto de 2012 | 11h30

No eixo rodoviário, as prioridades são a BR-116, entre Porto Alegre e São Paulo; a BR-101, entre Caxias do Sul e São Paulo; a BR-285, entre Passo Fundo e Imbituba; a BR-282/280, entre São Miguel das Missões e São Francisco do Sul; e a Rodo Buenos Aires - São Paulo, via São Borja.

No eixo ferroviário, o estudo elege como prioritárias a Ferrovia Norte-Sul, a Ferroeste Guaíra/São Francisco do Sul/Paranaguá via Anel BR-487/376/277, e a Boiadeira Porto Camargo - Paranaguá.

O custo para implementação desses oito eixos, segundo a CNI, seria de R$ 15,2 bilhões. Segundo a Confederação, se esses oito projetos fossem executados, poderiam gerar uma economia anual potencial de R$ 3,4 bilhões e uma redução de 7% no custo logístico da Região Sul. Para fazer esse cálculo, a CNI utilizou os volumes de carga previstos para circular na região em 2020 e o custo logístico estimado, de R$ 47,8 bilhões. Ainda de acordo com a Confederação, tendo em vista a economia que poderiam gerar, os investimentos se pagariam em pouco mais de quatro anos.

Os investimentos necessários nesses oito eixos podem ser divididos em 51 projetos, dos quais apenas 12 estão em andamento atualmente. Além disso, 55% não possuem fonte de financiamento clara. No total, o estudo citou 177 projetos como relevantes, mas selecionou 51 como os mais importantes para elevar a competitividade da Região Sul.

Tudo o que sabemos sobre:
competitividadeSulestudoCNI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.