CNI: otimismo volta aos patamares de antes da crise

O otimismo da população voltou ao patamar de antes do auge da crise financeira internacional, em setembro do ano passado, informou hoje a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) relativo ao terceiro trimestre, divulgado pela entidade, mostra que houve um crescimento no indicador de 4,7% em relação ao segundo trimestre, atingindo 115,4 pontos. O valor é praticamente igual ao do levantamento do terceiro trimestre de 2008, quando ficou em 115,6 pontos. O resultado do último levantamento também está apenas 0,6 ponto porcentual abaixo do recorde histórico do Inec, de 116 pontos no terceiro trimestre de 2006.

RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

25 de setembro de 2009 | 12h23

O Inec é composto pela média ponderada de seis fatores que afetam diretamente a inclinação do cidadão a consumir. Todos os componentes melhoraram em relação à pesquisa do segundo trimestre. Mas, segundo a CNI, a melhoria no Inec neste trimestre foi puxada pela expectativa de aumento no emprego, que passou de 118,4 pontos para 129,6 pontos no período (alta de 9,5%). Na comparação com o primeiro trimestre, a diferença é muito maior: alta de 28,1%.

Na primeira pesquisa deste ano, 70% dos entrevistados acreditavam em um aumento do desemprego. No levantamento do terceiro trimestre, este porcentual caiu para 43%. "Trata-se de uma reversão de expectativas bastante expressiva, provavelmente em decorrência da melhora do mercado de trabalho e do aumento do emprego", diz a CNI. Na comparação com o terceiro trimestre de 2008, o índice de expectativa em relação ao emprego ficou estável, com um leve recuo de 0,1%.

Tudo o que sabemos sobre:
otimismoconsumidorCNI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.