Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

CNI: País foi 2º mais afetado pela crise entre os Brics

O Brasil foi o segundo país entre os Brics - que reúne ainda Rússia, Índia e China - a ser mais afetado pela crise financeira internacional, de acordo com estudo divulgado hoje pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Segundo o documento Indústria Brasileira em Foco, a produção industrial brasileira recuou 2,5% entre setembro de 2008 e junho deste ano, um impacto bem menor que o registrado na indústria russa, que teve queda de 32,1% no mesmo período.

EDUARDO RODRIGUES, Agencia Estado

31 de agosto de 2010 | 12h15

Já os setores industriais da Índia e da China foram mais resistentes à crise, com crescimentos de 14,7% e 24,3%, respectivamente, desde o agravamento da turbulência global. Para a CNI, a retomada da atividade industrial nos Brics está sendo diferenciada. A entidade destaca que, apesar do atual ritmo similar de crescimento das indústrias brasileira e indiana, o impacto no Brasil foi maior no fim de 2008, ocasionando essa diferença no acumulado desde então.

Em nota, o economista Marcelo de Ávila, da CNI, considera que a queda mais acentuada na economia russa está relacionada à alta insegurança jurídica no país, enquanto o bom desempenho chinês é reflexo da adoção do câmbio desvalorizado, que preserva as exportações do gigante asiático.

O economista também ressalta que, enquanto vários países desenvolvidos ainda patinam na crise, China, Índia e Brasil estão liderando o crescimento global. "Essas três economias serão preponderantes no cenário futuro, não só pelo ritmo mais forte de crescimento, mas pela robustez que têm adquirido no cenário econômico mundial", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
criseBrasilBricsindústriaChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.