Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

CNI prevê estagnação da economia brasileira este ano

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) prevê que a economia brasileira ficará estagnada neste ano por conta da crise global, uma piora significativa frente ao crescimento de 2,4 por cento estimado há três meses.

REUTERS

26 de março de 2009 | 16h44

Para a entidade, que atualizou suas projeções nesta quinta-feira, as ações de política econômica adotadas para enfrentar as turbulências externas "mostram sucesso apenas relativo".

"A política monetária não foi utilizada com a celeridade e o vigor que a situação exige. A redução na taxa Selic tardou", avaliou a CNI.

O prognóstico para a indústria é de retração de 2,8 por cento este ano, frente à previsão anterior de crescimento de 1,8 por cento. A indústria de transformação deve recuar 4,5 por cento e a extrativa mineral, 3,7 por cento.

A expectativa para a agropecuária é de uma queda de 1,0 por cento.

A CNI estimou ainda que a formação bruta de capital fixo --uma medida dos investimentos-- sofrerá baixa de 4,4 por cento, frente à projeção anterior de alta de 3,0 por cento.

A taxa média de desemprego deve alcançar 9,1 por cento, enquanto a Selic deve cair para 9 por cento ao ano no encerramento de 2009. Atualmente, a taxa básica está em 11,25 por cento.

(Texto de Daniela Machado)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROCNIPROJECOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.