CNI prevê fim do ciclo de aumento de contratações na indústria

O setor industrial deve interromper o ciclo de aumento das contratações iniciado em janeiro de 2004, segundo o documento "Sondagem Industrial", divulgado hoje pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).O indicador relativo à expectativa de novas contratações nos próximos seis meses recuou de 51,7 pontos em abril para 49,1 pontos em junho. É a quarta queda consecutiva da expectativa. "Não devemos esperar um aumento grande do emprego. Pode haver até uma estagnação no emprego, no resto do ano", disse o coordenador da Unidade de Política Econômica da CNI, Flávio Castelo Branco.Caiu também o índice de expectativa de faturamento da indústria para o próximo semestre, que recuou de 57,7 pontos no primeiro trimestre para 54,5 pontos no segundo. Embora os empresários ainda projetem uma expansão de seu faturamento, já que o indicador continua acima dos 50 pontos, a CNI informa que o índice é o mais baixo desde janeiro de 2003. Três entre os 17 setores pesquisados esperam redução do faturamento no próximo semestre: couros e peles, metalurgia e madeira.O documento divulgado pela CNI aponta, ainda, que as empresas industriais não devem aumentar suas compras de matérias-primas nos próximos seis meses. O indicador caiu de 55,3 pontos em abril para 52,4 pontos em junho, o menor desde janeiro de 2003, após quatro reduções consecutivas.Segundo a CNI, sazonalmente era de se esperar um crescimento do índice em relação ao primeiro trimestre, porque a indústria começa a se preparar para o segundo semestre, normalmente mais aquecido em termos de vendas. Em 2004, segundo os dados da Confederação, esse indicador passo de 57,3 pontos para 61,4 pontos no mesmo período.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.