Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

CNI revisa projeção do PIB de 2006 de 3,7% para 2,9%

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou nota nesta quinta-feira informando que reduziu a sua projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2006 de 3,7% para 2,9%. A CNI diminuiu também o PIB industrial de 5% para 3,5%. A última projeção da confederação havia sido divulgada no final de abril. Segundo a entidade, fatores como carga tributária excessiva, gastos púbicos elevados, juros altos e valorização do real "sufocam" a atividade econômica no País.O presidente licenciado da Confederação Nacional da Indústria, Armando Monteiro Neto, afirmou que a revisão para baixo do crescimento econômico e industrial para este ano, reflete o impacto do resultado do segundo trimestre. Segundo ele, o baixo crescimento da economia no segundo trimestre vai impactar fortemente no resultado do ano, o que fez com que a equipe técnica da CNI previsse um crescimento para 2006 perto de 3%."O tombo do segundo trimestre foi grande e o processo de contribuição de alguns setores, como do setor externo, leva a esse crescimento", disse Monteiro Neto. Segundo ele, a nova expectativa de crescimento "frustra bastante". "O Brasil terá novamente um ano de crescimento muito abaixo da média dos países emergentes e se tomarmos uma taxa média de crescimento dos últimos quatro anos, vamos verificar que continuamos naquele crescimento modesto e até medíocre que tem sido a marca do Brasil, nos últimos 20 anos", afirmou Monteiro Neto.

Agencia Estado,

21 de setembro de 2006 | 16h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.