CNJ adia decisão sobre depósitos judiciais do TJ do Rio

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) adiou uma decisão sobre disputa que envolve o Bradesco e o Banco do Brasil (BB) pelo direito de administrar depósitos judiciais. O Bradesco ganhou uma licitação do Tribunal de Justiça (TJ) do Rio e obteve o direito de gerir os depósitos referentes a causas que tramitam na Justiça Estadual. O BB, porém, argumenta que a legislação determina que essa contas devem ficar, preferencialmente, a cargo de bancos oficiais.O caso foi para no CNJ, mas o julgamento da questão foi adiado por um pedido de vistas. O CNJ pode retomar o caso na próxima sessão, prevista para daqui a duas semanas. A decisão do CNJ terá repercussão no mercado. Um dos motivos do interesse do BB pela Nossa Caixa é justamente a possibilidade de ganhar a administração de depósitos judiciais na instituição financeira paulista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.