Cobrança por serviços bancários varia até 160,87%

A cobrança no serviço de manutenção do cartão magnético de débito bancário variou até 160,87% em fevereiro, segundo anunciou, nesta terça-feira, Fundação Procon-SP. Segundo a pesquisa levantada em dez instituições bancárias, analisando diferentes tipos de cobrança, enquanto a Nossa Caixa cobra R$6 pela manutenção mensal do serviço, o preço no Santander é de R$2,30.Dentre os serviços pesquisados, a renovação trimestral do cheque especial também registrou grande variação na comparação entre os bancos no mês de fevereiro. A CEF cobra R$9,50 pelo serviço, enquanto que o preço no Unibanco é de R$22 - uma variação de 131,58%. No serviço de envio de talão de cheques via correio (remessa domiciliar) a CEF novamente foi o banco mais barato da pesquisa, com uma taxa de R$3,50, enquanto o Banco do Brasil registrou uma taxa de R$6 - o que representa uma variação de 71,43%.Ano passadoNa comparação dos preços médios em relação ao ano passado, o Procon também constatou variação. Um exemplo disso é o valor médio da manutenção mensal da conta corrente ativa, que aumentou 13,16%. Em março de 2005, era de R$6,31 e em fevereiro deste ano passou para R$7,14. Das 10 instituições pesquisadas, oito aumentaram as taxas (Banco do Brasil, Banespa, Bradesco, CEF, Itaú, Nossa Caixa, Santander e Unibanco) e duas mantiveram o valor da tarifa (HSBC e Real). Já o valor médio da manutenção mensal do cartão magnético de débito passou de R$3,13 em março de 2005 para R$3,65 em fevereiro deste ano, o que representou um aumento de 16,64%. Das 10 instituições pesquisadas quatro aumentaram (Banco do Brasil, Bradesco, CEF e Itaú), cinco mantiveram (Banespa, Nossa Caixa, Real, Santander e Unibanco) e uma passou a cobrar por este serviço (HSBC)."Pacotes/cestas"Na análise dos "pacotes/cestas" verificou-se que em média, em março do ano passado, o cliente pagava R$18,57. Já no mês passado o valor médio passou para R$22,48, com acréscimo de 21,06%. Na comparação entre "pacote/cesta" e tarifas avulsas constatou-se que o cliente pagaria anualmente, em média, R$269,76 pelo "pacote/cesta" e R$336,73 pelas tarifas avulsas, o que representa uma economia de R$ 66,97 (19,87%). Em oito dos dez bancos pesquisados fica menos oneroso contratar o "pacote/cesta" de produtos e serviços bancários. Somente em dois bancos se dá o inverso. No HSBC a contratação de tarifas avulsas representa uma economia anual, em valores absolutos, de R$ 127,20 e no Unibanco a contratação de tarifas avulsas representa uma economia anual, em valores absolutos, de R$ 24,26.Segundo o documento de divulgação do Procon, "os resultados da pesquisa levam à conclusão que quanto menor a renda do consumidor, maior é o peso do custo dos serviços bancários". Segundo o Procon, geralmente o cliente que possui uma renda maior tem condições de concentrar investimentos e contratar serviços nos bancos, o que proporciona maiores descontos ou até a isenção de tarifas, de acordo com o grau de reciprocidade com o banco.O Procon também concluiu que a falta de clareza e uniformidade das terminologias dos produtos e serviços bancários, a multiplicidade de forma de cobrança das tarifas e a falta de informações claras por parte dos bancos representam grande obstáculo para o consumidor. Assim, a instituição recomenda os consumidores a acompanhar a tabela de tarifas bancárias vigente, conhecer todos os "pacotes/cestas" ofertados, verificar a política de descontos adotada pelos bancos, comparar as tarifas avulsas e os "pacotes/cestas" de acordo com o perfil de cada um, ficar atento aos lançamentos diários nos extratos bancários, e, em caso dúvida, consultar o gerente de sua agência.PesquisaA pesquisa baseou-se em perfil hipotético de um cliente pessoa física, titular de conta corrente com cheque especial, que utiliza regularmente os principais serviços necessários à movimentação e controle de sua conta corrente. Em virtude da variação promocional de descontos adotada pelos bancos, não foram considerados indicadores de reciprocidade, tais como saldo médio, poupança, aplicações, empréstimos e seguros. O levantamento pesquisou os preços do Banco do Brasil, Banespa, Bradesco, Caixa Econômica Federal (CEF), HSBC, Itaú, Nossa Caixa, Real, Santander e Unibanco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.