Coeure, do BCE: governos não devem se aproveitar da instituição

Os governos da zona do euro não devem se aproveitar da mais recente ação do Banco Central Europeu (BCE) para conter os custos de empréstimos de países endividados, disse a autoridade do BCE Benoit Coeure, pedindo reformas fiscais e econômicas para superar a crise.

Reuters

20 de setembro de 2012 | 08h57

O BCE concordou neste mês em lançar um novo programa potencialmente ilimitado de compras de títulos governamentais para reduzir os custos de empréstimos de países da zona do euro em dificuldades, melhorando a confiança do mercado na capacidade das autoridades em superar a crise.

Coeure, a cargo das operações de mercado no conselho executivo do BCE e da supervisão da implementação do novo programa, destacou o compromisso do BCE de fazer o que for necessário para preservar a estabilidade de preços, mas que os governos devem fazer sua parte.

"A noção de que bancos centrais têm uma capacidade ilimitada de criar dinheiro é uma ilusão e portando não pode ser usada como desculpa para não reformar a economia", disse Coeure no texto de um discurso na Sciencies Po em Paris, nesta quinta-feira.

O novo programa de títulos é um importante elemento para preservar a estabilidade de preços, disse Coeure, acrescentando que a independência do banco central e um foco claro em estabilidade de preços são necessários, mas não suficientes para garantir uma inflação baixa e estável sob todas as circunstâncias.

(Reportagem de Eva Kuehnen)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROBCECOEURE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.