Colômbia está de portas abertas para investimento da Petrobras

Afirmação é do presidente Uribe; brasileira poderá participar de um projeto de ampliar produção de refinaria

Denise Chrispim Marin, de O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2009 | 15h54

O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, anunciou que seu país está aberto aos investimentos da Petrobrás em um projeto de ampliação da refinaria Reficar em conjunto com a estatal colombiana Ecopetrol. Durante entrevista no Palácio do Planalto, ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Uribe declarou: "Se chegar (à Colômbia) uma empresa como a Petrobrás, ela será bem vinda. As portas estão abertas." Em princípio, a Petrobrás poderá participar de um projeto de ampliação da capacidade de produção da Reficar de 80 mil barris para 140 mil barris/dia. Se a possibilidade se confirmar, a estatal brasileira entrará no empreendimento em lugar da vencedora da licitação aberta pelo governo colombiano, que é a empresa suíça Glencore. Nos planos originais, a Glencore deteria 51% das ações da sociedade. As obras, entretanto, atrasaram, por causa das dificuldades da Glencore em obter o financiamento necessário, o que irritou o governo de Alvaro Uribe. A empresa suíça havia oferecido, em 2006, um investimento de US$ 630,7 milhões. A Petrobrás, que oferecera US$ 595 milhões, perdeu a concorrência. Ontem (16), a Glencore apresentou uma opção de venda de sua participação no projeto para que a Ecopetrol pudesse desenvolvê-lo de imediato. Na manhã de hoje, o ministro de Minas e Energia da Colômbia, Hernán Martínez, anunciou que o governo colombiano está em busca de um novo sócio para a Ecopetrol no projeto. A confirmação de que se trata da Petrobrás foi feita pelo próprio Uribe, na entrevista.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaPetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.