Com a Oi, Portugal Telecom quer mercado latino-americano

Executivos da PT garantem que empresa saiu ganhando ao trocar fatia na Vivo[br]por participação na Oi

Jair Rattner, ESPECIAL PARA O ESTADO LISBOA, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2010 | 00h00

Com a entrada da Portugal Telecom no capital da Oi, a empresa portuguesa que mudar seu perfil de investimentos, passando a atuar também nos outros países da América Latina. "Vamos atuar não só no tripé Portugal-África-Brasil, mas também na América Latina. O continente sul-americano é uma extensão natural do mercado brasileiro", afirmou o presidente do conselho de administração da Portugal Telecom, Henrique Granadeiro.

O executivo garantiu que a PT saiu ganhando ao trocar a participação na Vivo, vendida para a Telefónica, pela fatia na Oi. "Com os 50% da Brasilcel (holding controladora da Vivo), tínhamos uma participação de 29% numa empresa com previsão de Ebitda (geração de caixa) de R$ 5,6 bilhões. Vamos ficar com uma participação de 22,4% numa empresa de previsão de Ebitda de cerca de R$ 10 bilhões", disse.

A venda dos 50% da Brasilcel foi considerada um bom negócio. "O valor de 7,5 bilhões pela participação na Vivo é superior a todo o valor de mercado da Portugal Telecom de 6 de abril deste ano", disse Granadeiro.

Dinheiro em caixa. O valor pago pelos 22,4% da Telemar será de cerca de 3,7 bilhões. Ainda não está decidido o que será feito com o restante do dinheiro que será pago pela Telefónica. "Em relação à diferença, o conselho de administração ainda não decidiu que tipo de utilização quer dar a este montante. A seu tempo, o conselho de administração vai analisar qual o equilíbrio que tem de encontrar entre o esforço de investimento no mercado português, o pagamento da dívida e o valor devido aos fundos de pensões", disse o presidente executivo da PT, Zeinal Bava. Ele não mencionou a possibilidade de distribuição de um dividendo extraordinário.

Na visão de Bava, uma grande vantagem do negócio com a Oi é que a empresa ganha dimensão. "A Oi tem 63 milhões de clientes, enquanto a Vivo tinha 56 milhões. Ficamos mais próximos do objetivo de termos 100 milhões de clientes", disse. Hoje, a PT tem 83 milhões de clientes.

Negociações. As conversas da PT com a Oi tiveram início em 2007, após a derrota na oferta da Sonaecom sobre a operadora portuguesa, afirmou Granadeiro. "A aproximação entre as empresas Oi e PT vem de há longo tempo. Uma das primeiras reuniões que tive após a conclusão do processo da OPA foi com a Telemar (Oi). Nessa altura, já estávamos a namorar a Oi", disse.

O executivo conta que as duas empresas já estavam colaborando em algumas áreas, como a colocação de antenas de celulares em São Paulo. "Tivemos excelente colaboração na localização de sites. Há todo um clima de aproximação e conhecimento que efetivamente nos permitiu aprofundar esta relação." O presidente do conselho de administração da PT manteve o governo português informado de todos os passos da negociação com os acionistas da Telemar.

PARA LEMBRAR

A Portugal Telecom (PT) conseguiu aumentar a oferta da Telefónica de 5,7 bilhões em maio para 7,5 bilhões. O governo português foi criticado por acionistas da PT e por autoridades da União Europeia por ter usado suas golden shares (ações com direitos especiais) para bloquear a venda da Vivo por 7,15 bilhões, o que havia sido aprovado pela maioria dos acionistas. O bloqueio, no entanto, permitiu aos portugueses ganhar tempo para fechar o acordo com a Oi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.