Com a trégua do cenário externo, dólar cai e bolsa sobe

Hoje os ventos sopram a favor dos negócios no mercado internacional e influenciam positivamente o mercado doméstico, com alta da bolsa e queda do dólar e dos juros futuros. Às 12h33 a moeda norte-americana é vendida a R$ 3,1150, em baixa de 0,29% em relação aos últimos negócios de ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em alta de 1,12%. Já os contratos com juros pós-fixados (DI), negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) pagam taxa de 15,610% ao ano, frente a 15,670% ao ano ontem.O preço do petróleo recua das máximas dos últimos dias e as bolsas nos EUA e na Europa operam em alta. Até na Índia o mercado acionário recuperou quase toda a perda de ontem, disparando mais de 8%. Esta melhora está longe, contudo, de representar uma tendência. "O petróleo está caindo hoje só porque não teve nenhum novo atentado", comentou um profissional de mercado consultado pela Agência Estado.O profissional ouvido pela AE observou que as condições técnicas ainda apontam alta para o petróleo. Muito mais do que o risco de atentados ou mesmo a dúvida sobre se a Opep elevará a produção, o analista avalia que o problema é a forte demanda originada pelos crescimentos combinados dos EUA e da Ásia. Ele observa que há sempre uma Arábia Saudita pronta para irrigar o mercado, mas um equilíbrio só deve ser atingido em anos, com o surgimento de novas áreas de produção e o crescimento das chamadas energias alternativas.Enquanto isso, a extração em áreas produtoras antigas - como nos EUA - tende a declinar, criando um problema adicional para um mercado sobreaquecido. Os atentados, neste ambiente, funcionam como os detonadores de cada salto dos preços, mas não o motivo de fundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.