Com agenda livre, Lula passeia por São Petersburgo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou uma manhã sem compromissos oficiais neste domingo em São Petersburgo para visitar alguns dos principais pontos turísticos da cidade russa que sedia, até a segunda-feira, a cúpula anual do G8, da qual o Brasil participa como convidado. Acompanhado da mulher, Marisa Letícia, Lula foi ao museu Hermitage, considerado um dos maiores e mais bonitos do mundo, antes de ir à praça dos Dezembristas, onde está localizada uma estátua do fundador da cidade, o imperador Pedro, o Grande, que é o símbolo da reunião de cúpula.De lá, ele seguiu à catedral de Santo Isaac, no outro lado da praça, antes de retornar ao seu hotel. Pela tarde, no próprio hotel, o presidente tem previstos uma série de encontros bilaterais com outros líderes convidados - o premiê indiano e os presidentes do México e da África do Sul.Lula também tem uma reunião prevista na tarde deste domingo com todos os líderes de países em desenvolvimento convidados, incluindo também o presidente da China, para discutir uma posição comum do grupo para o encontro que terão na segunda-feira com os líderes do G8.O principal objetivo do Brasil durante a cúpula é conseguir dos demais líderes presentes um apoio para tentar destravar as negociações comerciais da Rodada de Doha da Organização Mundial do Comércio.Interesse por Da Vinci Lula e sua comitiva, que incluía os ministros Luis Fernando Furlan, do Desenvolvimento, e Dilma Roussef, da Casa Civil, passaram 45 minutos dentro do Hermitage, que reúne uma das mais famosas coleções de arte do mundo.A visita foi feita com o museu aberto para os turistas, que muitas vezes eram contidos na entrada de algumas das salas para esperar a passagem da comitiva. Em um dos locais, Lula foi aplaudido por um grupo de mexicanos e espanhóis.Segundo o guia Marc Hechaev, que orientou Lula e a primeira-dama durante a visita ao museu, o presidente "ficou impressionado com a dimensão" do Hermitage e mostrou bastante interesse pela história do local."Ele se interessou muito pelas pinturas de Leonardo da Vinci e pelas obras de Rembrandt, como ´A Volta do Filho Pródigo´", garantiu Hechaev à BBC Brasil ao final da visita.Do museu, Lula seguiu com sua comitiva à estátua de Pedro, o Grande. O presidente aproveitou a imponência da estátua, que mostra o antigo imperador montado em um cavalo, para brincar com o chefe de cerimonial da presidência, Paulo Oliveira Campos, conhecido como POC. "POC, você nunca poderia ser imperador, porque só tem 1,60m", comentou Lula."Não é o Lula?"Depois disso, Lula passou cerca de meia hora na catedral de Santo Isaac, cuja construção, entre 1818 e 1858, consumiu 400 quilos de ouro para a decoração da fachada e do interior.Durante a visita, Lula se encontrou por acaso com o presidente do México, Vicente Fox, que aproveitava para conhecer a catedral ao mesmo tempo que ele. Após trocarem algumas rápidas impressões sobre a beleza do local, eles se despediram com um até logo, antevendo a reunião que teriam pela tarde.A visita de Lula não alterou a rotina de visita dos turistas à catedral, mas acabou atiçando a curiosidade de alguns. "Esse não é o Lula?", perguntou à BBC Brasil o casal de franceses Paul e Therese Debizet. Os dois se disseram surpresos com a presença de Lula, mas ficaram desapontados ao saber que o presidente francês, Jacques Chirac, não visitaria a catedral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.