Com ajuda da Petrobras, Bovespa esvazia perdas no final do dia

Influenciada pelo pessimismo dosinvestidores com novos sinais de inflação alta no Brasil e pelomau desempenho de Wall Street, a Bolsa de Valores de São Paulofechou os negócios desta sexta-feira no vermelho. O Ibovespa ainda chegou a enxugar as perdas na última horado pregão, amparado pelos ganhos das ações de siderúrgicas e daPetrobras, mas encerrou com baixa de 0,11 por cento, aos 69.645pontos. O giro financeiro de 4,7 bilhões foi o mais baixo emquatro semanas. O clima de cautela foi patrocinado pelos resultados do IPCAe do IGP-M, dois dos mais importantes índices de inflação. Oprimeiro subiu 0,55 por cento em abril, ante variação positivade 0,48 por cento em março, acumulando aumento de 5,04 porcento em doze meses, acima da meta do governo para 2008. Osegundo avançou 1,36 por cento na primeira prévia de maio, maisdo que o dobro do previsto pelo mercado. Temendo que o Banco Central intensifique o ritmo de apertomonetário iniciado em abril para tentar conter a alta depreços, os investidores começaram a temer pelo futuro dealgumas empresas. Nesse contexto, as ações de empresas varejistas foram osalvos preferenciais de vendas. "O setor de consumo será o maispenalizado, caso o governo tome alguma medida mais dura paraconter a inflação, como aumentar os juros", disse André Querne,sócio da Rio Gestão de Recursos. As ações preferenciais da Lojas Americanas despencaram 4,47por cento, a 13,04 reais. Os investidores também não gostaramde saber que a empresa teve lucro líquido de 5,5 milhões noprimeiro trimestre, 67,6 por cento abaixo do ganho auferido nomesmo período de 2007, devido a despesas maiores comsecuritização de recebíveis. Para piorar, Wall Street teve um dia negativo após anotícia de que a AIG, segunda maior seguradora o mundo, teve umprejuízo de 7,81 bilhões de dólares no primeiro trimestre de2008, em meio a baixas contábeis em ativos ligados às hipotecasde alto risco nos Estados Unidos. Na Bolsa de Nova York, oíndice industrial Dow Jones caiu 0,94 por cento. O clima ruim só foi contido devido ao avanço dascommodities internacionais, que puxaram consigo ações deempresas domésticas como as preferenciais da Petrobras, comavanço de 1,49 por cento, a 45,67 reais. O barril de petróleosubiu 1,7 por cento, a 125,80 dólares. Na mesma mão, os papéis preferenciais da Usiminas lideraramos ganhos entre as fabricantes de aço, com avanço de 2,32 porcento, a 85,90 reais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.