Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Com alimentos, inflação pelo IPC-S é a menor desde março

Índice subiu 0,34% ante alta de 0,44% na apuração anterior; tomate e melão tiveram as maiores quedas

Reuters e Agência Estado,

18 de agosto de 2008 | 08h18

Os custos dos alimentos tiveram variação negativa e ajudaram a inflação pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) a manter sua trajetória de desaceleração ao longo do mês, atingindo o menor patamar desde março. O indicador subiu 0,34% na segunda leitura de agosto, seguindo a alta de 0,44% na abertura do mês, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta segunda-feira, 18. Foi a menor taxa desde a terceira semana de março. Ainda segundo a FGV, as mais significativas quedas de preço no varejo foram apuradas no setor de alimentação: tomate (-12,84%); batata-inglesa (-7,56%); e melão (-31,63%).         Veja também: Inflação pelo IGP-10 desacelera e sobe 0,38% em agosto IPCA desacelera a 0,53% em julho ajudado por alimentos Como investir seu dinheiro no período de inflação  De olho na inflação, preço por preço  Entenda os principais índices  Entenda a crise dos alimentos    Os preços do grupo Alimentação tiveram queda de 0,06%, ante avanço de 0,40% na leitura anterior, marcando a quinta desaceleração consecutiva. O recuo foi motivado por menores variações dos itens hortaliças e legumes, carnes bovinas e arroz e feijão. Também contribuíram para a desaceleração do IPC-S as altas mais fracas dos grupos Saúde e cuidados pessoais e Educação, leitura e recreação.  Já os custos de Habitação, Transportes e Despesas Pessoais subiram em ritmo um pouco maior que na primeira leitura do mês. Já as mais significativas elevações de preços foram registradas nos preços de tarifa de telefone fixo residencial (2,02%); tarifa de eletricidade residencial (1,41%); e mamão da Amazônia - papaya (12,83%). Os preços do grupo Vestuário caíram em ritmo menor, em 0,23% na segunda leitura do mês, contra baixa de 0,33% anterior. O IPC-S da segunda leitura de agosto mediu a variação dos preços entre os dias 16 de julho e 15 de agosto, comparados aos coletados entre 16 de junho e 15 de julho.   Outro indicador mostrou desaceleração nesta manhã. O Índice Geral de Preços-10 subiu 0,38% em agosto, contra 2% em julho.  Os sinais de arrefecimento da inflação são recentes após um primeiro semestre bastante forte e os analistas acreditam que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central realizará um novo aumento de juro de 0,75 ponto percentual na reunião de setembro, podendo desacelerar esse ritmo se os dados de preços mantiverem a tendência atual e se a atividade também der sinais de enfraquecimento, como é esperado.  

Tudo o que sabemos sobre:
InflaçãoIPC-S

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.